Red de liturgia

CLAI - Consejo Latinoamericano de Iglesias

Inicio | Quiénes somos | Enlaces

Justicia Ambiental

23 de noviembre de 2016

Proposta litúrgica - 1° Advento

Visto: 2168 veces

 

1º Domingo, Tempo Advento, Cor litúrgica Roxa

 

Tema: Imigrantes e refugiados

Jesus, seu povo, peregrinos, imigrantes e estrangeiros | Data: 27/11/2016

 

Ambientação: Durante os quatro domingos do advento, usa-se a Coroa do Advento, com quatro velas que vão sendo acesas em cada domingo. Assim, conforme as luzes vão se somando na coroa, sinaliza-se que o Natal está chegando. A cor do advento é o roxo. Algumas comunidades gostam de iniciar o advento com uma toalha bem roxa e ir clareando, até o lilás e o rosa.

 

Liturgia da chegada

 

¯ Prelúdio: Veni, Veni, Emmanuel

Arr. Philip Lawson (recolhimento a oração e a meditação)

Oração

Saudação e Acolhimento

 

Boa noite a todos e todas! Sintam-se acolhidas e acolhidas por esta comunidade de fé! Esta noite o Senhor nos concedeu a oportunidade de, humildemente, chegarmos até aqui para desfrutarmos de intensa comunhão e louvarmos e engrandecermos o nome daquele que é o único digno de toda honra, poder e glória! Celebremos o início do Advento, tempo de espera e de esperança para a chegada de nosso Senhor Jesus Cristo. Como é tradição em grande parte do protestantismo no dois primeiros domingos, nos preparamos para a segunda vinda do Salvador. Nos dois últimos domingos do Advento, a Igreja volta-se para a primeira vinda do Salvador, que se encarnou milagrosamente no ventre de Maria e nasceu pobre na gruta de Belém. Quando José e Maria chegaram de Nazaré a Belém não havia lugar para eles nas estalagens. As pensões estavam todas ocupadas. Sem lugar para Jesus nascer, o casal não teve outra opção senão ir para uma manjedoura. Ainda pequeno ele tem que sair às pressas de seu país e fugir para o Egito, porque foi ameaçado de morte por Herodes (Mt 2,13-23). Do Egito retorna à própria pátria, só quando a tormenta aparentemente já se acalmara.

Jesus foi forasteiro e imigrante. E passados tantos anos, torna-se a única esperança para milhares de imigrantes e pessoas refugiadas. O tema da pessoa estrangeira permeia com maior ênfase a narrativa do Antigo Testamento mas também a do Novo Testamento. A relação se Jesus com elas pode ser destacada quando encontra uma mulher siro-fenícia (Mc 7,24-30; Mt 15,21-28), o centurião de Cafarnaum (Lc 7,1-10; Mt 8,5-13), na parábola do bom samaritano (Lc 10,29-37) e também com o relato daquele único leproso – um samaritano que volta para agradecer pela sua cura (Lc 17,11-19). Todos estes encontros são marcados pela humildade e solidariedade. Esse é o exemplo que devemos seguir com os mais de um bilhão de pessoas que vivem longe de onde nasceram (quase 20% da população mundial hoje é, de alguma forma, considerada imigrante), nos entregarmos em atos não só de piedade (a leitura bíblica, oração, jejum etc), mas também a incessante prática dos atos de misericórdia (em favor do próximo, as ações em favor da promoção da vida e da justiça), conforme nos ensinou João Wesley. O Deus dos imigrantes e das imigrantes está conosco! Em um período marcado por injustiças, racismo, exploração das pessoas necessitadas. O Deus que abençoou as pessoas imigrantes no passado é esperança no presente! “Não oprima o estrangeiro. Vocês sabem o que é ser estrangeiro, pois foram estrangeiros no Egito” (Êx 23.9) e “Amem os estrangeiros, pois vocês mesmos foram estrangeiros no Egito” (Dt 10.19).

 

¯ Cântico de Adoração – Hino 02 (A história de Cristo)

 (Enquanto se canta o hino, as crianças são convidadas a virem ao altar para que a primeira vela do advento seja acesa junto com elas. Nesse momento, pode-se trabalhar a ideia da expectativa: neste domingo é só uma, depois serão duas, três e quatro, até que chegará o Natal!)

 

Oração junto com as crianças no altar

 

Liturgia da Palabra

 

Primeira Leitura (Is 2.1-5)

 

Confissão e Perdão

 

Convite a Confissão

Neste momento, em nome de Jesus Cristo, o justo, que nos reconcilia com o Pai e intercede por nós, abramos nossos corações e mentes, nosso espírito, ao arrependimento, à confissão e ao perdão, para que possamos ser menos indignos e indignas de nos aproximar de Deus.

Confissão de Pecados

Deus, que acompanhas as pessoas em todos os lugares e em todas as situações de vida, ouve-nos quando a ti confessamos: A ti pertence a terra, e tudo o que nela se contém. No entanto, nós, seres humanos, criamos uma sociedade gananciosa; colocamo-nos como donos da terra e causamos a discriminação entre as pessoas. Criamos fronteiras, dividimos espaços, impomos divisas. Como se não bastasse, valorizamos certas culturas em detrimento de outras, erguemos barreiras sociais, geramos a pobreza e a riqueza, utilizamos a força da guerra, causamos a expulsão de vítimas inocentes de suas pátrias e casas, dividimos famílias. Ó Deus, como enviastes Jesus, que assumiu o pecado do mundo e deu sinais de um mundo novo; olha-nos com compaixão e renova a

face da terra. Transforma o mundo e o coração das tuas criaturas! (Elaborada por: Cat. Dra. Erli Mansk – Igreja Evangélica Luterana do Brasil).

 

Oração Silenciosa - Momento de Reflexão Pessoal

 

Oração /Proclamação de perdão

Deus todo poderoso, que perdoa a todas pessoas verdadeiramente arrependidas, recebe a nossa sincera súplica e perdoa-nos, encorajando-nos e fortalecendo-nos para que a partir de agora possamos te servir em novidade de vida, tratando nossos irmãos e irmãs sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Amém!

 

¯ Cântico de Confissão – Hino 404 (Serviço dos Crentes)

 

Momento com as crianças.

 

“Crianças refugiadas chegam a 50 milhões no mundo, diz Unicef (dados 2016).”

De forma simples, explicar como as questões imigratórias e de refugiados atingem as crianças de todo o mundo. Que mesmo em um país que não seja a sua terra natal, as crianças imigrantes ou refugiadas possuem os mesmos direitos que elas, pequenas cidadãs, nascidas no país acolhedor possuem. Que é importante acolhê-las nas escolas e nas demais atividades (ex: nas brincadeiras) estes amiguinhos e amiguinhas de nacionalidade e costumes diferentes. Que isto constitui uma rica oportunidade de aprender e ensinar!

 

Segunda Leitura (Rm 13.11-14)

Proclamação do Evangelho (Mt 24.36-46)

Prédica –

 

LITURGIA DA MESA

 

Ofertório – Louvor

 

Salmo Sl 122

Ofertório e Recebimento dos pedidos de oração

 

LITURGIA DA DESPEDIDA

 

Oração

Envio

Bênção Apostólica

 

¯ Amém Triplo

 

¯ Poslúdio

 

_________________________

 

Liturgia elaborada por Fernando Binatto Tambucci, advogado, membro da Igreja Metodista na Mooca e membro pleno da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB-SP.

Advento e Direitos Humanos -2016 -

Assessoria para a Promoção dos Direitos Humanos da Igreja Metodista - 3RE (Brasil).

Share

Palabras relacionadas

Inmigrantes, Niños, Refugiados, Cuidado

Atras